Conclusão

O desenvolvimento do presente estudo possibilitou uma análise de como o marxismo cultural está sendo propagado na cultura ocidental, uma reflexão acerca dos malefícios do marxismo na gravidade que encontra influenciando à artes e instituições, ao se observar esse conteúdo, além disso também permitiu conhecer as diferentes estratégias marxista de como pode ser implantado o comunismo/socialismo,  de um modo geral, a intelectualidade marxista demonstra interesse em aprofundar suas teorias e implanta-las em todas esferas humanas, e com engenhosidade social, tem conseguido agir ardilosamente nas camadas sociais.

A queda vertiginosa da alta cultura e os valores, que vem ocorrido nos últimos anos, revela a degradação moral que exibem nos meios de comunicação. Os livros como revisão bibliográfica forneceu uma ampla visão do tema proposto. Dada à importância do tema, torna necessário o desenvolvimento de estudo que visem à profundidade da historiografia do marxismo cultural, nesse sentido, a influência do marxismo cultural dentro da arte, nos permitem se posicionar de forma coerente e entender a problemática que se encontra o mundo atual.

Conteúdo extra

No momento que eu estava formatando os post encontrei uma citação que descreve bem, tudo aquilo que Karl Marx e seus adeptos almeja no final. Foi tirado desse artigo ” A estória marxista como plágio mal feito do cristianismo” – de André Assi Barreto

“A escatologia marxista sempre imitou a doutrina cristã. No início, havia um mundo perfeito sem propriedade privada, sem classes, sem exploração e sem alienação — o Jardim do Éden. Então veio o pecado, a descoberta da propriedade privada e a criação dos exploradores. A humanidade foi expulsa do Éden para sofrer a desigualdade e a privação. Os seres humanos então experimentaram uma série de modos de produção, do modo escravista ao feudal e ao capitalista, sempre buscando uma solução sem encontrá-la. Por fim, eis que adveio um verdadeiro profeta com a mensagem da salvação, Karl Marx, que pregou a verdade da ciência. Ele prometeu a salvação mas não foi ouvido, exceto por seus íntimos discípulos, que difundiram a verdade. No futuro, contudo, o proletariado, os portadores da verdadeira fé, será convertido pelos eleitos da religião, os líderes do partido, e se unirá para criar um mundo mais perfeito. Uma revolução final e terrível liquidará com o capitalismo, a alienação, a exploração e a desigualdade. Depois disso, a história terá fim, pois haverá perfeição na Terra e os verdadeiros crentes terão sido salvos.” – Daniel Chirot

continua na próxima semana…