Alguns marxistas a parte da União Soviética, observarão os acontecimentos históricos do regime: leninismo e stalinismo, e acusaram de não estar implantando a ditadura do proletariado, mas sim, uma ditadura do estado assassino e cruel. A subdivisão dos pensamentos comunista/marxista começa a ganhar força no período em que seguia a revolução bolcheviques. Tais pensamentos como da Sociedade Fabiana, Antônio Gramsci e Escola Frankfurt fortalece por reforça que o comunismo poderia ser implantado por meios menos radicais, agindo na cultura.

Sociedade Fabiana

Os mencheviques durante a revolução armada bolcheviques se fortaleceram e no ano de 1884, em Londres, foi fundada a Sociedade Fabiana por Hubert Bland e Bernard Chaw, porém hoje, não apenas seguem vivos, como também, se expandiram e estão no poder na maior parte dos países democratas.

Os fabianos tem como propósito de atuar nas medidas socialistas, disfarçada de socialismo, perceberam o imenso valor de reformar as medidas sindicais, com o objetivo de acostumar os cidadãos a verem o Estado assistencialista, como ferramenta para a sanar de todos seus problemas e além, de ser um veículo ideal para incutir ideias socialista nas mentes dos cidadãos comuns.

A igualdade idealizada se daria pelo governo defendendo a saúde pública, o ensino gratuito, e os princípios da justiça social, pois são medias que seriam pagas pela taxação progressiva do Estado sobre a sociedade, no entanto isso lhe traz, um crescimento gradual  do estado que inevitavelmente, leva a centralização de todas as decisões (FLYNN, 1996).

António Gramsci

Enquanto isso na Itália Jornalista António Gramsci pública suas teorias em jornais de esquerda e acaba sendo líder do partido comunista italiano, aos 31 anos de idade, ele é preso pelo regime Mussolini e condenado 20 anos de prisão, porém foi na cadeia que escreve 32 cadernos do cárcere contendo suas reflexões que ecoaria pelo resto do mundo.

CENA DO FILME “OS DIAS DO CÁRCERE”, 1977, DO DIRETOR UNO DEL FRA, QUE RETRATA A VIDA DO MARXISTA ITALIANO ANTONIO GRAMSCI.

Desiludido pelo regime marxista, para Gramsci, uma ditatura sem hegemonia cultural jamais resistiria por muito tempo, portanto para recriar e construir uma hegemonia cultural comunista, precisaria ser derrubado toda a superestrutura da sociedade. Segundo Gramsci, pode-se dizer que, para conseguir impor a ideologia comunista, a estratégia primeiramente precisaria modificar o modo de pensar da sociedade civil, fazendo com que a sociedade interpreta-se um novo modo de ver a vida e seus valores, para ao longo do tempo gerar mudanças no âmbito cultural, só assim, à modificação do senso comum iria exerce o principal objetivo, que é hegemonia nos organismos, jurídico, político e militar (GRAMSCI, 2011).

continua na próxima semana…