Lenin no dia 7 novembro de 1917, deu um golpe no governo transitório de Kerensky, que foi derrubado pelas forças bolcheviques, devido a isso, abriu uma nova fase para história humana, a fase de escravidão do povo; Marx resumiu o socialismo como “abolição da propriedade privada“. Na pratica, o componente mais fundamental da propriedade privada — a propriedade do indivíduo sobre si próprio — foi o primeiro a ser abolido (MALTSEV, 2017).

Conforme verificado por Olavo (2002), “a primeira guerra mundial trouxe uma crise teórica para o marxismo, pois esperava-se que os trabalhadores se unissem contra os empregadores, mas o que aconteceu foi inegavelmente ao contrário, proletariado aderiu à pregação patriótica, alistando-se em massa e lutando bravamente nos campos de batalha pelos “interesses imperialista”.

Segundo Olavo (2002):

[…] O estupor geral encontrou um breve alívio no sucesso bolchevique de 1917, mas logo em seguida veio a se agravar em pânico e depressão quando, em vez de se expandir para os países capitalistas desenvolvidos, como o previam os manuais, a revolução foi sufocada pela hostilidade geral do proletariado […].

 

Seria um erro, porém, atribuir que os proletários eram inimigos do capitalismo (Segundo o marxismo clássico, onde que os proletários eram inimigos naturais do capitalismo). Assim, reveste-se de particular importância que Marx previa que a industrialização iria causar condições intoleráveis para classe trabalhadora, tais previsões nesse sentido, nunca foi tão errada, pois com ascensão da Revolução Industrial teve um aumento na qualidade de vida da população (MISES, 2009). Por exemplo na história do capitalismo na Inglaterra, assim como em todos os outros países capitalistas, é apontado uma alta significativa e progressiva no padrão de vidas dos assalariados.

Inglaterra durante Revolución industrial – Canción de Navidad – Charles Dickens – 1843

Sob essa ótima, ganha particular relevância o gráfico de maddison que mostra um período, a qual a população vivia em absolutas pobrezas, e logo após a Revolução Indústria, teve um aumento significativo na renda per capita mundial.

Figura 1 – Gráfico
Fonte: (MADDISON, 2012)

Porém, no momento em que constatou o fato histórico de que a estratégia marxista-leninista de tomada do poder, recém-vitoriosa na Rússia, não teve êxito nos países europeus (entre 1921 e 1923 na Alemanha, Polônia, Hungria, Estônia e Bulgária), de economia capitalista e de sociedade democrática, passou a considerar outro modelo revolucionário (COUTINHO , 2002, p. 10).

continua na próxima semana…