A história do comunismo e da crise da teoria marxista, é a história de como não deu certo a aplicação dela, apenas nunca foi tão, insidiosa e mortífera ideologia atracado pelas barbaridades no âmbito físico e cultural. O comunismo/marxismo nasceu com uma proposta em novembro de 1917 de derrubar a ordem existente pela revolução armada, partindo da Rússia e estendendo pelo resto do mundo. Este período de conflitos sobre influência marxismo-leninismo, levou ao poder o Partido Bolchevique, liderado pelo Lenin, onde que se deu início a Revolução Russa e mais tarde, a crise marxista.

Rússia Imperial

A Rússia em XIV até XIX, já era um grande Império, o sistema político de governo naquela época era uma monarquia absoluta (czarismo). No início do século, com uma população de mais de 171 milhões de habitantes de várias etnias diferentes, diversas línguas e tradições culturais, tinha como seu imperador como czar, Nicolau II. Apesar de, o Império russo ser grande em extensão geométrica, ainda era muito pobre, se comparado com outras nações tais como:  reino unido, Alemanha, França e etc. Após a passagem de dois czar Alexandre II e Alexandre III, marcados por guerras perdidas, crise na política e econômica, a chega então do Nicolau II ao trono, faz algumas medidas para impulsionar desenvolvimento industrial, pois nesse contexto, que se deram chegadas das grandes fabricas, formou-se um operariado de aproximadamente 3 milhões de pessoas, que recebiam salários miseráveis e eram submetidas a jornadas de 12 a 16 horas diárias de trabalho, a qual foi, local que as ideias marxista/comunista encontrou um campo fértil para o seu florescimento (BRASIL, 2009).

Os Bolcheviques

Em 1898, foi fundado Partido Social Operário Democrata Russo, que era um partido inspirado na doutrina comunista/marxista, porém existia um grande problema, a qual o partido passou a ter divergência de idéia e a ter desentendimento por causa da revolução que mudaria todo império. Em 1903, após a divisão do partido, passou a ter duas alas:

Vladimir Lenin, líder da Revolução Armada Bolchevique de 1917

Os Bolchevique liderados por Lenin (menor partido, contando no seu auge com 5 mil membros), acreditavam na imediata imposição do comunismo por meios violentos, com confisco armado das propriedades, das fábricas, e das fazendas, e o assassinato dos burgueses e reacionário que por ventura oferecessem resistência; e os Mencheviques liderado por Martov, defendiam o comunismo/socialismo em uma abordagem mais gradual, não violenta e não revolucionária para o mesmo objetivo; a liberdade e a propriedade deveriam ser abolidas pelo voto da maioria (ROCKWELL, 2016).

Boris Kustodiev, “O Bolchevique”, 1920. Óleo sobre tela, 101 × 140,5 cm, Galeria Estatal Tretyakov, Moscovo. (Foto: Galeria Estatal Tretyakov)

Depois do Domingo Sangrento, em 1905, e em uma série de revoltas em 1915, após a volta de Lenin, depois de ser exilado por pregar a rendição da russa na Grande Guerra, deram início à Revolução Russa, derrubando o governo.

Domingo Sangrento. Trabalhadores de tiro perto do Palácio de Inverno 9 de janeiro de 1905. Ivan Vladimirov

continua na próxima semana…