Por: Marcos Camargo

Esse artigo é  a apresentação de uma serie de estudos com o titulo ” A arte sob a influencia do marxismo cultural na utilização dos processos de hegemonia cultural e dissociação do ser”  que serão postados em toda semana dividido em 5 capítulos:

  1. O MANIFESTO COMUNISTA: A ESSÊNCIA DA IDEOLOGIA MARXISTA 
  2. ASPECTO HISTÓRICO DA REVOLUÇÃO RUSSA E A CRISE MARXISTA 
  3. CHEGADA DO MARXISMO CULTURAL: SOCIEDADE FABIANA, ESCOLA DE FRANKFURT E O ANTONIO GRAMSCI
  4. MARXISMO CULTURAL
  5. ARTE SOB INFLUÊNCIAS DA CULTURA MARXISTA

Resumo  

O presente estudo objetivou analisar de que forma a arte sob influência da cultura marxista pode trazer efeitos colaterais para a sociedade, e consequentemente desestruturar as bases dos valores da cultura ocidental, contando como benefícios, obter um conhecimento usado pela ideologia comunista/socialista. Bem como identificar, quais sãos as linhas teóricas e estratégias marxista, que auxilia na ocupação, controle da hegemonia cultural; identificar os impactos causados pelos regimes comunista/socialista na revolução no oriente e a chegada do marxismo cultural no ocidente; e levantar reflexão sobre o tema marxismo cultural dentro das artes. Para tanto, foi utilizado como método para coleta de dados, a pesquisa bibliográfica, através do estudo levantado no referencial teórico sobre comunismo/socialismo, correntes filosóficas do marxismo cultural e arte.

A partir da análise dos dados foi possível perceber a importância da essência do marxismo cultural que floresce nos meios sociais, a ubiquidade foi citado pelos autores e críticos como, á mais ideologia maquiavélica criada. Enfim, por meio de todo o estudo realizado foi possível confirmar que marxismo cultural tem o projeto ambicioso para influenciar e dominar, os órgãos, instituições, música, arte, televisão, mídias, a educação e etc. E essa dinâmica ocorre em toda época da história atual, articulando nas camadas sociais.

Estatua de pedra rosada vieja de Karl Marx, Chongqing, Sichuan China

 

Apresentação

Marxismo cultural é uma cultura que possui métodos e teorias, essencialmente marxista com estratégia de engenhosidade social para subverte os valores e a moral da cultura ocidental. Através da modificação do senso comum pelas mentalidades revolucionarias, nas instituições e órgãos, se implanta gradativamente o predomínio da mentalidade marxista, influenciando os meios da indústria cultural.

De forma geral, o marxismo cultural busca atrelar a dominação da mentalidade das pessoas descaracterizando-se aquilo que é verdade absoluta, pela crítica. Com isso, usa-las como massa de manobra nos interesses de ações revolucionarias e partidários, para o desmantelamento do estado, exercendo de forma sigilosa na corrida para a chegada do comunismo/socialismo.

Diante das intempéries na cultura e arte em atual, um fator que permanece em evidência é importância de as pessoas saberem entender o “background” do porquê, aquilo foi exposto ou produzido. É na área das artes que se apresenta como uma das disciplinas relevantes e responsáveis para fazer melhor avaliação dessas artes de cunhos ideológicos marxistas, a ponto de atingir uma reflexão das ferramentas utilizadas pelas as mentalidades revolucionárias.

O objetivo de entender a historiografia do marxismo cultural, visa alcançar de, como a arte sofre influência marxista que acarreta uma series de adversidades na contemporaneidade e dissociação genuína do ser. Entretanto, uma das estratégias criadas pelas correntes marxistas, está voltada para hegemonia cultural e a teoria crítica, além disso visa entender, tendo como benefício, obter o conhecimento de como ocorre os ataques na cultura ocidental.

Devido o transtorno na população que ocorre através da arte sobre influência da cultura marxista, essa pesquisa se justifica através do o estudo do marxismo cultural no processo de ideologização monumental pelo mundo, que no entanto, são usadas estratégias de domínio mental e despersonalização através daquilo que as pessoas são exposta pelos meio da indústria cultural. Esse estudo tem como vantagem em obter um conhecimento acerca do  regime comunista/socialista.

Para o desenvolvimento do presente trabalho foram utilizadas pesquisas bibliográficas, além de sites, artigos e documentários em vídeos. A pesquisa bibliográfica baseou-se em livros publicados na área das ciências humanas. O estudo de sites e documentários em vídeos, feitos por professores e analista, são resultados de anos de estudo sobre o tema pouco difundido. Principais autores a qual, embasarão a pesquisa, dentre eles são: Olavo de Carvalho, Pr. Paulo Ricardo, Sérgio Augusto de Avellar Coutinho, Stéphane Courtois, Rolf Wiggershaus, Richard Pipes, Patrick J. Buchanan, Karl Marx, Theodor Adorno, Max Horkheimer, Kant, Hegel, Frederick Engels, Silvio Medeiros, Solano Portela, Dante Mantovani e etc.

O trabalho estrutura em cinco capítulos, apresentando-se no primeiro a origem do marxismo e o seu conceito teórico, apresentando toda a sua essência e os princípios, a qual os marxistas defende. No segundo capitulo é abordada a evolução histórica do marxismo pela revolução russa em busca da utopia comunista/socialista, quais foram as consequências da aplicação dela, além de descrever a crise teórica do marxismo. O terceiro capitulo percorre pela breve histórico da fundação da sociedade Fabiana e a escola de Frankfurt, e suas correntes teóricas e políticas, além de descrever a de Antônio Gramsci. Ainda nesse capitulo apresentam também as estratégias gramsciana e frankfurtiana tais como: hegemonia cultural e teoria crítica. No quarto capítulo apresenta o conceito do marxismo cultural. E no quinto capitulo caracteriza como a arte sobre influência do marxismo.

continua na próxima semana…