Tendência do ensino da arte da atualidade e a diversidade cultural

Como uma tendência, Barbosa (2003) aponta, na atualidade, para a associação do Ensino de Arte com a Cultura Visual.

Entretanto a comunidade artística norte-americana, mais entregue ao mercantilismo, “não parece em absoluto estar interessada na livre competição internacional” (ELFAND, FREEDMAN e STUHR, 2003, p. 42). Há um crescente aumento do poder empresarial americano atual que se expande em todos os aspectos do cotidiano em muitos países, incluindo o nosso, contribuindo para uma grande proliferação de produção de imagens que, em sua maioria, visam a que os jovens se tornem consumidores. Este seria um dos motivos pelo qual testemunhamos hoje uma forte tendência de associar o ensino de Artes com a Cultura Visual (BARBOSA, 2003) O universo visual hoje é extremamente persuasivo, e vivemos em uma época onde as corporações multinacionais atuam como forças na cultura das mídias. A natureza da cultura infantil está sendo transformada pela cultura empresarial, e este fato “torna-se claro à medida que as fronteiras que eram mantidas entre as esferas da educação formal e do entretenimento entram em choque” (GIROUX, 2000, p. 127). (GRALIK, 2010, p. 31)

 

Conforme verificado por Barbosa (2003) a escola seria a instituição púbica que pode tornar o acesso à arte possível para a vasta maioria dos estudantes em nossa nação. Trata-se inegavelmente de não de algo desejável, mas essencialmente civilizatório, seria um erro, porém, não atribuir o prazer da arte como a principal fonte de continuidade histórica, orgulho e senso de unidade para uma cidade, ação ou império. Assim, reveste-se de particular importância a diversidade cultural:

Diversidade cultural: multiculturalismo, pluriculturalidade e interculturalidade aqui, para definir a diversidade cultural, nós temos que navegar novamente através de uma complexa rede de termos. Alguns falam sobre multiculturalismo, outros sobre pluriculturalidade, e temos ainda o termo mais apropriado – Interculturalidade. Enquanto os termos “Multicultural” e “Pluricultural” significam a coexistência e mutuo entendimento de diferentes culturas na mesma sociedade, o termo “Intercultural” significa a interação entre as diferentes culturas. Isto deveria ser o objetivo da educação interessada no desenvolvimento cultural. Para alcançar tal objetivo, é necessário que a educação forneça um conhecimento sobre a cultura local, a cultura de vários grupos que caracterizam a nação e a cultura de outras nações. (BARBOSA, 2018)

 

O autor deixa claro, que dessa forma os alunos possam desenvolver com ajuda dos artes-educadores a sensibilidade de análise crítica da arte. Tentando desvincular-se da modernidade concebida pela arte como expressão e sim, como construção do objeto e sua concepção inteligível. Vivenciando o fazer artístico, a análise de obras artística e a história das artes, além de poder mergulhar na diversidade cultural conhecendo artes de todo lugar do mundo. Para isso tempos como ferramenta A Abordagem Triangular pode que foi desenvolvida no Brasil num contexto específico em relação ao ensino de arte, num diálogo com o cenário internacional. Pode-se colocar como uma importante motivação desta e de outras propostas correlacionadas, a necessidade do ensino contemporâneo de arte ser reconhecido como área do conhecimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBOSA , A. M. Arte-educação em um museu de arte. Revista Usp, São Paulo, p. 125-132, Junho, Julho e Agosto 1989.

BARBOSA , A. M. A imagem no ensino da arte. 4ª. ed. São Paulo : Perspectiva , v. II, 2001.

BARBOSA, A. M. Arte-Educação: leituras no subsolo. 1ª. ed. São Paulo : Cortez, 1997.

BARBOSA, A. M. Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. 2ª. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

BARBOSA, A. M. Arte, Educação e Cultura. Dominio Público, 2018. Disponivel em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/mre000079.pdf>. Acesso em: 05 jun. 2018.

ELFAND, A. D.; FREEDMAN, K.; STUHR, P. La educación en el arte posmoder. Barcelona: Paidós, 2003.

GIROUX, H. A. Atos Impuros: A prática política dos estudos culturais. São Paulo : Artmed, 2000.

GRALIK, T. P. Cultura Visual: Rumo à Compreensão de Outros Universos no Ensino de Artes. Revista Nupeart, Florianópolis, v. 8, p. 29-43, 2010.