Por: Marcos Camargo

Hoje não tem como negar as redes sociais dentro das salas de aulas, se não todos, mais em grande a maiorias dos estudantes possuem perfis no facebook, instagram e twitter, entre outros. Cabe o professor vencer esse tabu e utilizar essas ferramentas para interação em classe com responsabilidade e avaliando os pontos positivos e negativos.

Devido as redes sociais fazer parte do cotidiano do aluno, citarei dois pontos positivos em que o professor pode explorar na sala de aula:

  1. Grupos de estudos online: quando a classe está envolvida com o tema estudado em aula pode se criar um grupo de estudo para contribuir na integração dos alunos e debater o assunto estudado, pois hoje em dia, se nota em determinados alunos certas dificuldade de expor seu ponto de vista do real em vez do virtual. Através do grupo, pode se engajar esses alunos para um melhor aproveitamento do ensino aprendizagem dentro dos grupos.
  2. Criação de conteúdo e disponibilidade de conteúdo extra: a rede social tem essa facilidade de compartilhamento de materiais multimídia como, por exemplo, vídeo, noticia, fotos, texto, mapa mentais e etc.  O professor sendo mediador dessa interação, pode incentivar os alunos a desenvolver projetos e postar no grupo, criando um espaço aprendizado de ajuda mutua. Além de convidar especialista nos temas propostos para agregar no grupo por intermédio de conferencias.

Pontos negativos que o professor precisa evitar na utilização das redes sociais

O que não se pode perder de vista é o fato de que, nas redes sociais, o “professor está se expondo para o mundo”, afirma Maiko Spiess, sociólogo e pesquisador do Grupo de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “Ele tem que se dar conta de que está em um espaço público frequentado por seus alunos”. Por isso, no mundo virtual, os professores precisam continuar dando bons exemplos e devem se policiar para não comprometerem suas imagens perante os alunos. Os cuidados são de naturezas diversas, desde não cometer erros de ortografia até não colocar fotos comprometedoras nos álbuns. “O mais importante é fazer com que os professores se lembrem de que não existe tecnologia impermeável, mas comportamentos adequados nas redes’ (SPIESS, apud PECHI, 2011).

Cabe apontar que, apesar de as redes sociais trazer um mundo de estratégias novas para educação, o professor precisa tomar cuidados previamente antes de entrar no “jogo”. Estabelecer regras no grupo, criar um código de conduta, são alguns exemplos para manter a ordem na rede. Aliás, dessa forma, alguns alunos vão condenar os comportamentos que consideram inadequados dentro do grupo, ajudando a moderar as informações expostas.   Diante do exposto, uma das soluções também é o professor criar um blog e disponibilizar as matérias didáticos, dessa forma, os alunos podem comentar aquilo que são postados, sem ter distrações do tema sugerido.

Por isso, fica evidente que nas redes sociais podem gerar facilidades na transição de informações entre professores e alunos.  Não é exagero afirmar que esse tema vai mais além, sendo que, mesmo o professor e aluno não estiverem mais em contato, o grupo na rede social proporciona um elo e possíveis espaço para reencontros. Espera-se, dessa forma que as redes sociais estabelecem também diálogo eficiente entre os pais dos alunos, através das fotos e vídeos, pois assim, os pais conseguem averiguar os registros das rotinas educacionais e aprendizado do estudante. O autor deixa claro, no artigo da Nova Escola, que para manter uma eficaz a utilização das redes sociais nos espaços educacionais, basta apenas continuar a manter os bons exemplos entre o real e virtual.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PECHI,. Como usar as redes sociais a favor da aprendizagem. Nova Escola, 2011. Disponivel em: <ttps://novaescola.org.br/conteudo/240/redes-sociais-ajudam-interacao-professores-alunos>. Acesso em: 12 Março 2018.