Estúdio da Rádio, com Beatriz Roquette-Pinto ao microfone

Por: Marcos Camargo

A educação à distância no século XIX e XX, contribuiu muito para expansão da educação pelo Brasil, além de inovação nas propostas pedagógicas, trouxe baixos custos devido aos recursos tecnológicos. Os princípios que sustenta a educação à distância, ajudou a criar uma nova ótica de como ensino está inserido atualmente.

Devido aos atrasos que o sistema educacional no Brasil estava vivenciando naquela época, o ensino a distância veio com finalidade de compensar as camadas sociais menos privilegiadas para participar do sistema de ensino,  para Mugnol (2009), o início da educação à distância surgiu nos três meios de comunicação da época: rádio, televisão e correspondência. Segundo Saraiva (1996, p. 19), por exemplo, “considera-se como marco inicial da EAD no Brasil a criação, por Roquete-Pinto, entre 1922 e 1925, da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro e de um plano sistemático de utilização educacional da radiodifusão como forma de ampliar o acesso à educação”. Pois, foi somente nos anos 90, que começou a disseminação das tecnologias que contribuiu para o surgimento de programas oficias nas universidades, com incentivos de ministérios pelas secretarias de educação, municipais e estaduais.

É preciso, porém, ir mais além, as perspectivas que se apresentam para educação a distância no contexto nacional, segundo Niskier (2000, p. 49), diz que:

“A EAD tornou-se a modalidade fundamental de aprendizagem e ensino, no mundo inteiro. Antes cercada de mistério, hoje é até mesmo reivindicada por sindicatos poderosos, no Brasil, onde o seu prestígio cresce de forma bastante visível. Por todas essas razões, que a educação a distância tem a finalidade de promover o desenvolvimento humano, oferecendo capacitação continuada para formação de professores no dia-dia escolar, e é notório que isso resulta de troca de experiências com outros profissionais em sala, com isso, favorece uma boa mudança no meio educacional”.

Espera-se, dessa forma que a educação a distância mostra de alta relevância aquilo que ela e apresenta, manuseando novas técnicas e enfrentando novos desafios, porque precisa modificar a forma de ser, agir e pensar. Sendo assim, a educação a distância. O número de instituições de ensino públicas e privadas que oferecem cursos nesta modalidade tem crescido significativamente no Brasil, depois da publicação da Lei de diretrizes e Bases – LDB em 1996. Segundo dados da Associação Brasileira de Educação a Distância – ABED, o número de instituições que ofertam cursos superiores na modalidade de EAD cresceu 36% no período de 2004 a 2006. Passando de 166 para 225. O número de alunos cresceu 150%, passando de 309.957 para 778.458 no mesmo período (ABED,  2009, apud MUGNOL). Não é exagero afirmar que esse tema a qual o autor deixa claro, que a educação à distância no Brasil, vem se firmando nas últimas décadas e ganhando ocupação de espaços gradativamente no meio educacional.

REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA

ABED. Anúario. Assicuação Brasileira de Educação a Distância, 15 janeiro 2009. Disponivel em: <www.abed.com.br>.

MUGNOL , A educação a Distância no Brasil. Revista Diálogo Educação, Curitiba , p. 27, maio 2009.

NISKIER , Educação a distância: a tecnologia da esperança. São Paulo: Loyola, 2000.

SARAIVA , A Educação a Distância no Brasil. Brasília: Em Aberto, 1996.